abril 07, 2010

Risoto de camarão do Edu Goldenberg


O mundo virtual é realmente surpreendente. Nele descobrimos um universo de informações, gente interessante, realidades próximas ou distantes da nossa, travamos novas amizades...
Essa receita foi pescada no Buteco do Edu, blog do queridíssimo Eduardo Goldenberg. Foi por intermédio do meu irmão, Diego, que conheci seus textos, tanto do livro que publicou (Meu lar é o botequim), quanto os postados no Buteco. E foi lá que encontrei essa receita e algumas outras que nos deixam com vontade de correr para a cozinha e testar.
Edu, esse risoto foi a alegria de cinco bocas esfomeadas na sexta-feira santa. Por conta da data, não usamos o dendê, quizila de Oxalá. ;-)
Não sobrou um único grão.
Ingredientes:
- 4 xícaras de arroz parboilizado (usamos 3 xícaras);
- 2 cebolas argentinas grandes picadas (usamos 2 médias);
- 400 g de queijo parmesão ralado na hora (usamos 200g);
- 4 tomates picados e sem sementes (usamos os 4 mesmo);
- 230 ml (aproximandamente) de massa de tomate (usamos um sachê de 200ml de extrato de tomate pronto);
- 4 dentes de alho picados em cubos (usamos 3);
- 2,5 litros de caldo de legumes (usamos o mesmo indicado pelo Edu e bastou);
- 2 kilos de camarão médio (usamos 2,5 kilos);
- 1 kilo de camarão VG (não usamos);
- vinho branco verde (usamos uns 150 ml do que tinha na geladeira);
- manteiga;
- azeite extravirgem;
- creme de leite (usamos 1 caixinha);
- azeite de dendê (não usamos);
- coentro picadinho a gosto.
Obedecemos as orientações do Edu e fizemos da seguinte forma:
Dissolvemos dois caldos de legumes em 2,5 litros de água, aquecendo em fogo brando. Enquanto isso, iniciamos o preparo do arroz. Deixamos a manteiga derreter no fundo de uma panela grande. Douramos a cebola, sem deixar queimar, e em seguida acrescentamos o alho picadinho. Fritamos o arroz nesse refogado perfumado. Em seguida, acrescentamos o vinho, deixando evaporar quase que por completo. O perfume é realmente delicioso.
Feito isso, acrescentamos uma concha do caldo de legumes, mexendo para que o arroz incorporasse o líquido. Conforme o líquido ia diminuindo, mas em secar, fomos acrescentando em conchas o caldo de legumes, tomando o cuidado para não quebrar o arroz ao mexer. Ao notar que o arroz estava quase cozido, acrescentamos os camarões, o coentro, os tomates e o queijo, seguindo a orientação de não deixar os camarões se partirem ou destroçar os tomates em cubo. Nesse momento seria incluído o dendê, que não usamos.
Então, deixamos o resto do caldo evaporar, mexendo com bastante cuidado, e quando estiva cozido, mas al dente, acrescentamos o creme de leite, uma pitada de manteiga e uma colher de sopa de azeite extravirgem, incorporando com cuidado.
Os 10 minutos de espera para servir só foram respeitados porque eu finalizava um outro prato, que depois postarei a receita aqui.
Edu, muita gentileza compartilhar a receita conosco. Coisa de alma generosa. Grande abraço!

5 comentários:

Eduardo Goldenberg disse...

Ô, querida... Bacana, isso! É e será sempre um prazer dividir essas receitas com você! Um grande beijo.

Diego Moreira disse...

Garota e Edu, o prato ficou fantástico. Beijo e abraço!

Axly disse...

Oieeee moça bonita!
Esse risoto hein, q pecado em plena sexta-feira santa!
Pois é menina, dei uma sumida básica, eu não posto, mas passeio todos os dias pelos blogs amigos, inclusive o teu.
Mas tai, boa idéia, não prometo, mas vou tentar voltar sim!
Tão bom né^^
Kisss!

*-.♥.-*Natércia*-.♥.-* disse...

Amiga obrigada pela visita!!!
Volte para ficar amei o seu risoto...beijinho grande:))

Carol disse...

Poxa, a boneca apareceu!! Já com um belo risoto. Maravilha!! La, quanto ao fermento, eu não fiz com figos, fiz com uvas passas, usei 200gr e 300ml de água. Depois a farinha, coloquei 250g e é só a de trigo. Ainda está em fase de fermentação, vamos ver se ele vai procriar!! O lance é você deixar a água com a fruta até fazer bastante bolinhas de ar por cima, isso pode levar até quase 1 mês, essa é a boa levedura. Palavras da chef Roberta Sudbrack. Faz sim ai me conta. Beijão